quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Especial: Desempenho da era Fawaz no Nottingham Forest

Dizem que números são números, exatos e não mentem. Para entender um pouco melhor o desempenho do proprietário Fawaz Al Hasawi à frente do Forest, nosso blog fez um grande levantamento de seus números, quantidade de vitórias, técnicos, etc.

O Detalhe não é apenas colocar culpa em sua administração - como é de conhecimento de todos, o clube está fora da Premier League desde 2000, portanto houveram outras administrações à frente do clube. Porém traça um paralelo de que a administração do Kuwaitiano simplesmente não evoluiu durante 5 temporadas, o que é motivo mais do que suficiente de que os torcedores protestem.


A era Fawaz começou no verão de 2012, portanto no meio da temporada. O dono anterior se chamava Nigel Doughty e esteve a frente do clube por 10 anos. Comprou o Forest em 99 por 11 milhões de libras. Nesse período, o clube chegou a cair para a League One (terceira divisão) e retornar como vice campeão em 2007 atrás do Swansea que se sagrou o campeão. Porém é preciso relembrar 2 bons momentos vividos logo antes de Fawaz assumir:

Primeira tentativa de acesso à Premier League:


No ano de 2009/2010 após terminar em terceiro lugar fazendo 79 pontos, fazendo um ótimo campeonato, o time sucumbiu nos Playoffs contra o Blackpool que havia classificado em 6º na última rodada (já vimos vários exemplos desses acontecer no Brasil). Na primeira partida fora de casa, uma derrota por 2x1. Na volta, jogando em casa, abriu 1x0, chegou a tomar o empate, conseguiu voltar à frente do placar, porém em um apagão, levou uma virada para 4x2. Chegou a diminuir fazendo o 4x3, mas perdeu no agregado por 6x4. O Blackpool, inclusive naquele ano venceu a final sobre o Reading e subiu para a Premier League, sendo o azarão da vez.

Segunda tentativa de acesso à Premier League:


Logo na temporada seguinte, outra excelente performance: 75 pontos, levando ao sexto lugar. O Adversário dessa vez nos playoffs: O Swansea, aquele mesmo que voltou junto com o Forest da Terceira para a Segunda divisão alguns anos atrás. Dessa vez, o Forest era forte, mas o Swansea também tinha um timaço. Comandado por Brendan Rodgers, que posteriormente foi pro Liverpool, o Swansea segurou-se na retranca na primeira partida no City Ground. Jogando no País de Gales, na volta, venceu por 3x1 sem maiores dificuldades e eliminava o Forest novamente na mesma fase. Pra piorar, o mesmo time que o eliminou acabou subindo: O Swansea bateu o Reading na final e está na Premier League até hoje (podia ser nós).

Temporada 2011/2012:

Nigel Doughty, ex proprietário do clube

Na temporada seguinte à ela, Doughty resolveu vender o clube que estava em situação financeira difícil pelos seguidos anos de Championship. Anunciou a venda para uma família milionária do Kuwait nomeada Al-Hasawi em 11 de Julho de 2012. Inicialmente ficou decidido que Omar Al-Hasawi seria o responsável, mas em Dezembro do mesmo ano, uma troca: Entraria Fawaz, seu primo. A Família Fawaz possui diversas empresas em seu país de origem, dentre elas a Fawaz Conditioning, produtora de ar condicionado e produtos de refrigeração que chegaram a patrocinar o Forest alguns anos depois.

Portanto a temporada 2011/2012 foi de total transição, na qual o Forest viveu uma certa ressaca por conta das 2 tentativas frustradas de playoff, terminando o campeonato em 19º lugar, bem longe dos playoffs. Inclusive, nessa temporada o Forest lutou contra o rebaixamento e só conseguiu se afastar de vez do Z3 pois o Portsmouth estava em processo de falência, e por falta de pagamento de salários, acabaram perdendo 10 pontos no campeonato. Um pouco depois de Fawaz assumir, lamentavelmente o dono anterior, Doughty faleceu de causas naturais.  

Números da temporada:
15 Vitórias - 11 Empates - 25 Derrotas

-20º lugar na Championship;
-Eliminado no terceiro round da FA Cup (Leicester);
-Eliminado no terceiro round da Copa da Liga Inglesa (Newcastle);

Técnicos que passaram:
-Steven McLaren: 13 Jogos - 3V/3E/7D
-Steve Cotteril: 38 Jogos - 12V/8E/18D

Pontos positivos:
-Contratação do Andy Reid que retornou ao Forest, porém jogava pouco por problemas físicos.

Wes Morgan quando jogava no Forest

Pontos negativos:
-Saídas de Robert Earnshaw (Cardiff), Wes Morgan (Leicester, inclusive se tornou campeão da Premier League em 2016) e Patrick Bamford (Chelsea, era uma das maiores promessas da época).


Temporada 2012/2013: 


Essa foi de fato a primeira temporada em que Fawaz teve tempo para se organizar. Com ela, a melhor campanha até o momento na Championship: Um oitavo lugar, brigando pela última vaga até a última rodada. Mas em compensação passaram 4 técnicos pelo clube, sendo que o time realmente respondeu somente na chegada de Billy Davies.

Números da temporada:
18 Vitórias - 16 Empates - 15 Derrotas

-8º Lugar na Championship;
-Eliminado no terceiro round da FA Cup (Oldham);
-Eliminado no segundo round da Copa da Liga Inglesa (Wigan);

Técnicos que passaram:
-Sean O' Driscoll: 10V/9E/7D
-Alex Mc Leish: 1V/2E/4D
-Billy Davies: 7V/5E/4D

Billy Davies: Um dos técnicos com maior identificação recentemente

Pontos positivos:
-Volta do Billy Davies que tinha batido na trave no acesso de 2010 e 2011;
-Contratação do Guedioura junto ao Wolverhampton, Lansbury junto ao Arsenal e Greg Halford junto ao Portsmouth;

Pontos negativos:
-Venda do lateral Chris Gunter pro Reading e venda do bom Goleiro Lee Camp para o Norwich;
-Trocas de técnicos exageradas.


Temporada 2013/2014:


Na temporada seguinte, o Forest ficou em uma posição intermediária da tabela, um décimo primeiro lugar. Nessa temporada, Billy Davies comandou o clube praticamente o ano todo, só saindo ao fim de Março, próximo ao fim da temporada.

Números da temporada:
20 Vitórias - 18 Empates - 15 Derrotas
-11º na Championship;
-Eliminado no quinto round da FA Cup (Sheffield);
-Eliminado no terceiro round da Copa da Liga Inglesa (Burnley);

Técnicos que passaram:
-Billy Davies: 18V/16E/10D
-Gary Brazil (interino): 2V/2E/5D


Pontos positivos:
-Vitória poderosa de 5x0 sobre o West Ham pela FA Cup;
-Manutenção de um só técnico por quase toda a temporada;
-Contratação do De Vries (Wolves), Jack Hobbs (Hull), Vaughan (Sunderland), Chalobah (Chelsea) e Paterson (Walsall)

Pontos negativos:
-Venda do Guedioura (Crystal Palace), Gonzalo Jara e Lewis McCugan (Agente livre);
-Ter mandado embora o Billy Davies que fazia outro trabalho bom pelo que tinha em mãos.


Temporada 2014/2015:

Britt Assombalonga: Matador, porém sempre machucado.
A temporada 2014/2015 teve mais uma vez o Forest fazendo um campeonato mediano, terminando em 14º lugar, longe da zona de rebaixamento, mas também longe do G6. Passaram pelo clube o ídolo e ex lateral esquerdo Stuart Pearce como técnico, além de Dougie Freedman. No caso de Stuart Pearce, Fawaz queria tentar colocar um ídolo como técnico. Começou bem, mas não terminou. Já Dougie Freedman é considerado um dos treinadores mais injustiçados da era Fawaz. Com um elenco cheio no DM e enfrentando o embargo de transferências (não podia contratar), Freedman conseguiu fazer um "feijão com arroz" e possui números significativos à frente do Forest.

Números da temporada:
17 Vitórias - 14 Empates - 19 Derrotas
-14º Lugar na Championship;
-Eliminado no terceiro round da FA Cup (Rochdale);
-Eliminado no terceiro round na Copa da Liga Inglesa (Tottenham);

Técnicos que passaram:
-Stuart Pearce: 10V/10E/12D
-Dougie Freedman: 7V/4E/7D

Michail Antonio, que hoje faz sucesso pelo West Ham passou por aqui

Pontos positivos:
-Contratação do Mancienne (Hamburgo), Michail Antonio (Sheffield Wednesday, um grande achado por sinal), Britt Assombalonga (Peterborough), Tom Ince (Hull) e Gary Gardner (Aston Villa)

Pontos negativos:
-Embargo de Transferências devido a ter gasto mais do que arrecadou;
-Venda de Darlow e Lascelles pro Newcastle, posteriormente voltaram por empréstimo;
-Saída do Majewski (Huddersfield);


Temporada 2015/2016:

Uniforme dourado era comemorativo ao 150º aniversário do clube
A temporada 2015/2016 teve a frente com a continuidade de Dougie Freedman que ficou até meados de Março, quando o Forest o demitiu, causando certa surpresa na torcida, afinal era um ano que o Forest não podia contratar, além de perder jogadores extremamente importantes, Freedman conseguiu livrar o time do rebaixamento que era a missão da temporada. Também puxou garotos da base e aproveitou alguns bons empréstimos. Nessa temporada apareceram valores como Burke, Osborn, Cash, Worral, etc. Depois até o final da temporada, o Forest foi comandado por 10 rodadas com o interino Paul Willians, tendo péssimos resultados. A diretoria demorou pra anunciar um técnico novo, que viria a ser Phillipe Montanier apenas em Junho. Ou seja, foram praticamente 3 meses perdidos com um trabalho que poderia ter sido iniciado.

Números da temporada:
14 Vitórias - 16 Empates - 19 Derrotas
-16º Lugar na Championship;
-Eliminado no quarto round da FA Cup (Watford);
-Eliminado no primeiro round da Copa da Liga Inglesa (Walsall);

Técnicos que passaram:
Dougie Freedman - 12V/14E/15D
Paul Willians (Interino) -2V/2E/4D


Pontos positivos:
-O time soube aproveitar a base e lançar alguns garotos com o embargo de transferências;
-Muitos empréstimos, um em questão deu muito certo como Nelson Oliveira (Benfica) que terminou como artilheiro da temporada.

Pontos negativos:
-Poucas contratações chegaram com o embargo de transferências como Pinillos, Mills e Ward, todos à custo zero. Com exceção de Pinillos que tem certa qualidade e é importante ao time, todos que vieram são fracos.
-Ao sacar Freedman, demorou 3 meses pra contratar um técnico, viveu muitas incertezas no fim da temporada, enquanto todos os times contratavam, o que se reflete na temporada 2016/2017.

Temporada 2016/2017:


A temporada 2016/2017 até começou promissora. O time fez a pré temporada em Portugal e conseguiu excelentes resultados com 4 vitórias e 2 derrotas. Algumas contratações chegaram como o "midiático" Bendtner, Armand Traoré (ex Arsenal) e Hildeberto Pereira. No total foram 12 contratações e poucas saídas de impacto no começo. No início da temporada porém, o maior golpe: A venda de Oliver Burke que foi para o Leipzig da Alemanha por £ 15 milhões de libras e só jogou as primeiras rodadas. No jogo de estreia, um 4x3 contra o estreante Burton e uma sensação de que a temporada seria promissora e cheia de gols. Porém parou aí. O time começou a tropeçar muito no início e Philippe Montanier não conseguia dar padrão de jogo ao time. O Forest levava muitos gols, todas as partidas era vazado e quando não era, era motivo para comemorar.

No início da temporada, o Forest quase teve novo dono: O grego Evangelos Marinakis chegou a fazer uma oferta e inclusive indicou a contratação de Montanier que posteriormente foi revelado por Fawaz quando a compra deu errado. No meio da temporada, outra frustrante venda daria errado. Dessa vez do consórcio americano de Jay Moores, magnata americano, revoltando a torcida. Com o time bagunçado administrativamente, os resultados dentro de campo também não chegavam e o Forest se estabeleceu no meio da tabela. Nas Copas o rendimento também foi fraco. A eliminação na primeira rodada contra o Wigan na FA Cup e a goleada sofrida para o Arsenal no terceiro round por 4x0 na Copa da Liga Inglesa fizeram o Forest ficar somente focado na Championship.

Montanier foi embora e com ele o auxiliar Gary Brazil virou técnico tampão. Enquanto as coisas não se resolviam fora de campo, o time ia patinando. Em Janeiro com o time já há 8 pontos da Zona de Rebaixamento, um pacote de novas contratações foi anunciado. De todos que chegaram, com exceção de Zach Clough que veio do Bolton, ninguém se firmou. O Forest foi caindo pelas tabelas e com um desempenho fora de casa péssimo. O clube ficou 13 jogos sem ganhar fora de casa. A zaga era a segunda mais vazada, só perdendo para o já rebaixado precocemente Rotherham. Em compensação o ataque ajudava e muitas vezes o time batia times da parte de frente da tabela como Brighton, Newcastle e Huddersfield, enquanto perdia jogos mais fáceis contra times de baixo, como Blackburn e Wigan.

Faltando 9 jogos para o fim, Mark Warburton chegou e com ele um novo diretor de futebol: Frank McParland. O técnico não conseguiu mudar muita coisa, mas conseguiu resultados que mantiveram o time na Championship na última rodada. A promessa é de que Fawaz saia e dê lugar a Evangelos Marinakis e com isso o Forest poderá ter esperança de brigar novamente em cima.

Números da temporada:
16 Vitórias - 9 Empates - 25 Derrotas
-21º Lugar na Championship;
-Eliminado no terceiro round da FA Cup (Wigan);
-Eliminado no terceiro round da Copa da Liga Inglesa (Arsenal);

Técnicos que passaram:
Phillipe Montanier - 9V/6E/15D
Gary Brazil (assistente) - 4V/1E/7D
Mark Warburton - 3V/2E/4D



Pontos positivos:
-O Ataque foi o 9º melhor da Championship e salvou o Forest dos critérios de desempate na última rodada;
-A contratação de Zach Clough, jogador promissor do Bolton e que deu ar de renovação ao clube;
-A entrada e revelação de Ben Brereton no time de cima, jogando muito quando chamado;
-O Clube finalmente será vendido se nada der errado de última hora como das últimas duas vezes. A era Fawaz está no fim.

Pontos negativos:
-A bagunça administrativa com Fawaz declarando que não participou da escolha do técnico (Montanier) no começo da temporada e de alguns jogadores que vieram por causa da venda do clube;
-A venda frustrada e até agora não revelada para o grupo americano que fez de tudo para fechar o negócio;
-A venda precoce de Oliver Burke para fazer caixa;
-Muitas contratações na janela de janeiro que nem estrearam e mal entraram no time como João Teixeira, Tshibola e McCormack.
-A saída de Lansbury no meio da temporada que era um dos melhores do time;

---

Resumo em números da era Fawaz (considerando apenas 2012 até 2017):

-85 Vitórias
-73 Empates
-93 Derrotas
-9 Técnicos diferentes
-Embargo de Transferência

#FawazOut

Comente com o Facebook: