quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Venda do Notingham Forest fracassa de última hora e vira mistério

Desde o fim da temporada 2016, o atual dono do clube, Fawaz Al Hasawi declarou publicamente seu interesse em encontrar investidores para a venda do clube. Após 4 anos de comando, Fawaz nunca foi unanimidade entre os torcedores e as campanhas pífias na Championship fizeram com que o empresário decidisse mudar os ares do clube.



Inicialmente, Fawaz gostaria apenas de vender uma parte do clube e ainda se manter como sócio. Porém viu que ninguém se interessaria pelo projeto. As primeiras notícias se davam conta de que um investidor Grego teria interesse na aquisição. Porém as conversas não foram adiante e o investidor em questão ajudou na contratação do centro avante grego Apostollos Vellios.

No fim de 2016, as notícias se davam conta de que John Moores, um bilionário americano e dono de um time de baseball - o San Diego Padres estava muito interessado na compra de um clube inglês. Ele chegou a tentar comprar o Everton e o Swansea na Premier League, porém sem sucesso. Viu então no Nottingham Forest uma oportunidade de comprar um clube adormecido pelo tempo e que possui muita história.



John Moores possui a fama de recuperador de equipes dos EUA, afinal comprou a franquia de baseball há muitos anos atrás e o transformou numa potência, vendendo-a posteriormente por muito mais dinheiro do que tinha investido. Sua ideia era fazer o mesmo com o Forest.

As negociações foram extensas e se arrastaram durante todo o ano. As poucas notícias que saiam era de que até Janeiro a aquisição do clube seria completada. Porém, na semana passada, de maneira surpreendente, Fawaz emitiu um comunicado dizendo que a venda do clube havia sido cancelada pois as partes não entraram em acordo, e o atual formato de negociação "não era interessante" ao clube. Especula-se que Moores havia oferecido cerca de 50 milhões de Libras pelo clube, mas Fawaz insistia em vender por um maior valor, ou em contrapartida, continuar dono de uma porcentagem, mesmo que pequena.


A notícia gerou grande revolta da torcida do Nottingham, pois caiu como um balde de água fria sob o clube. Para piorar, o time briga contra o rebaixamento e devido à erros administrativos de sua gestão, recebeu uma punição com o embargo de transferências, que impede o clube de realizar investimentos para contratações.

Recentemente também saiu na mídia inglesa que John Moores já havia até mesmo emprestado dinheiro a Fawaz para pagar dívidas salariais no mês de Novembro e Dezembro enquanto o clube não trocava de dono, e que agora ele está cobrando o dinheiro de volta, já que as negociações se encerraram.

A torcida protesta para a saída de Fawaz. São sucessivos os erros do empresário Kuwaitiano na frente do clube desde 2012. Recentemente o clube realizou a venda de seu promissor - e melhor jogador da equipe, o ponta esquerda Oliver Burke para o RB Leipzig por 15 milhões de euros no último dia da janela de transferências e o clube não conseguiu repor a tempo a perda de seu melhor jogador.


Pra piorar, contratou uma baciada de jogadores fracos como o volante Kasami, o ponta direita Licá, o meia esquerda emprestado pelo Napoli, Nicolau Dumitru e o atacante Carayol, jogadores que até o momento pouco acrescentam ao time.

Janeiro seria a hora de poder investir o dinheiro conseguido pela transferência de Burke, mas com o provável embargo batendo na porta, o Forest só poderá contratar jogadores por empréstimo ou sem contrato, o que dificulta ainda mais as escolhas.

A era Fawaz, que começou com promessas de que a Premier League seria o objetivo acabou sucumbindo. Desde que assumiu o clube, a base foi enfraquecida e poucos reforços que chegaram em sua era acabaram dando certo. Resta saber se ela durará por mais tempo, ou se algum outro investidor poderá tirá-lo do poder.

Na Inglaterra, os times são diferentes do futebol brasileiro. Acima do Presidente, há a figura do dono. Geralmente o dono do clube é o que traz investimentos e de certa maneira "patrocina" o clube. Mas não são todos os casos de sucesso como por exemplo de Roman Abramovich no Chelsea. Os clubes são tratados como empresas e para comprar um clube, basta fazer uma proposta ao atual dono. Se aceita, é necessário comprovar para a Federação Inglesa que o investidor possui condições de bancar o time, além de provar a origem do dinheiro que será investido. Porém existem alguns donos aventureiros que acham que ser dono do clube é como brincar no Football Manager, e nem sempre a história acaba bem.

Comente com o Facebook: