domingo, 31 de dezembro de 2017

No último dia do ano, Nottingham Forest demite Mark Warburton


Mark Warburton não é mais técnico do Nottingham Forest. A notícia foi dada hoje pela manhã pelo site oficial do clube. Mark Warburton esteve a frente do clube por 9 meses e foi um dos responsáveis pela salvação do rebaixamento do clube na temporada passada, quando chegou em março e conseguiu manter o time na Championship.

Assim como Mark Warburton, outro que sai é Frank McParland, diretor de futebol que foi responsável pela sua contratação e obviamente foi contra sua demissão. Para a partida de amanhã contra o Leeds, em Elland Road, o time será mais uma vez comandado pelo auxiliar técnico fixo do clube, Gary Brazil.

Warburton esteve a frente do time em 37 jogos e estreou no clássico contra o Derby County em março desse ano, em um empate por 2x2 no City Ground. Seu retrospecto foi de 15 vitórias, 3 empates e 19 derrotas com 50 gols marcados e 59 sofridos. A demissão de Warburton dividiu a torcida. Uma parte concordava que o time era realmente fraco e que ele precisava de pelo menos mais uma janela de transferências (que seria a de agora), enquanto a outra parte da torcida questionava as improvisações em campo como a de Osborn na lateral, Brereton de ponta, entre outras, além de não utilizar mais jogadores importantes na temporada anterior, como Vellios e Clough.

A fase atual do Forest é muito ruim, com o clube conseguindo apenas uma vitória nos últimos sete jogos, contra o Bolton no City Ground. Agora com sua demissão, o clube corre contra o tempo para anunciar rapidamente um técnico, pois o mês de Janeiro é o único que o clube pode contratar jogadores, e obviamente, precisa da opinião de um treinador para tal para não repetir os erros da temporada anterior na qual contratou jogadores sem ter a avalizada de um técnico.

Nomes especulados:

Com a saída de Warburton, uma série de nomes já começam a ser veiculados na mídia inglesa:

Aitor Karanka 

O famoso ex zagueiro espanhol do Real Madrid que foi auxiliar de Mourinho nos merengues foi técnico do Middlesbrough por 4 temporadas e ajudou o time a subir para a Premier League. Ele está sem clube no momento.

Nigel Clough 

O eterno filho de Brian Clough já teve uma oportunidade de treinar o clube na temporada passada, antes da chegada de Warburton, mas recusou o convite e preferiu continuar no Burton. Agora, com uma nova e mais confiável direção, pode ser que mude de ideia, já que o Burton se encontra na zona de rebaixamento no momento e ele não tem conseguido bons resultados atualmente.

Garry Monk

Outro ex zagueiro como jogador, agora técnico, Garry Monk passou brilhantemente por Swansea e Leeds United. No Leeds, ele conseguiu uma boa campanha na temporada passada e quase chegou aos playoffs. Também treinou o Middlesbrough nessa temporada e está sem clube atualmente.

Gus Poyet

Técnico sulamericano da lista, o uruguaio Poyet já passou por Brighton e Sunderland na Inglaterra, além de AEK de Atenas, Betis e estava na China treinando o Shenghai Shenhua. Também está sem clube atualmente.

Billy Davies

O queridinho da torcida do Forest, Davies teve duas passagens pelo clube. Na primeira, bateu duas vezes na trave com o acesso a Premier League, perdendo nos playoffs. Foi o melhor futebol que o Forest conseguiu jogar nos últimos anos em sua mão. Porém na segunda passagem, um pouco mais apagada, ficou no meio da tabela mais recentemente quando o clube era gerido pela família Hasawi. A torcida sempre pede sua volta e atualmente está desempregado.

Martin O'Neil

O meio campista bicampeão da Champions League como jogador pelo Forest, seguiu os passos de seu tutor, Brian Clough e também é técnico. Da lista é o mais experiente. Teve boas passagens principalmente por Aston Villa, Sunderland e Celtic. Desde 2013 é técnico da Irlanda, mas não conseguiu classificar o time pra Copa do Mundo, portanto sua permanência como técnico da seleção é incerta.

Outros nomes

Além desses nomes, há uma outra lista imensa com nomes como Steve McLaren (já teve uma passagem por aqui em 2011 e 2012), Paul Clement (que estava no Swansea), Nigel Pearson, Paul Hurst, entre outros, mas consideradas improváveis no momento.

Nossa Opinião:

A saída de Warburton não é surpresa pelos altos e baixos que o time apresentava na temporada. Infelizmente, Warburton e a diretoria não aproveitaram tão bem a janela de transferências para contratar jogadores para suprir a principal carência do time: o gol e a zaga. Ao invés disso, as 6 contratações feitas foram para o setor de meio campo e ataque que já era até bem servido da temporada anterior. Esse foi o grave erro de Warburton. Aparentemente ele estava resistindo bem e iria usar a janela de janeiro para reforçar finalmente a defesa, pois nomes de goleiros e zagueiros já vinham sendo especulados. Porém o já fraco e conhecido desempenho defensivo foi aliado com o fraco desempenho ofensivo e o time simplesmente parou de jogar.

Apesar disso, concordamos que Warburton não é o maior culpado e sua saída é praticamente apenas uma resposta pra torcida. Caso não vá ao mercado de transferências contratar finalmente um goleiro experiente, pelo menos dois zagueiros, um lateral e um volante de contenção, o time não fará muito mais que isso, independentemente de qual técnico venha. Lembremos que essa base de time foi treinada por Phellippe Montanier, Gary Brazil e outros técnicos e simplesmente nenhum conseguiu fazer melhor do que um campeonato de permanência. O time é bom ofensivamente, porém fraquíssimo defensivamente e nenhum técnico fará milagres. Caso não mude de postura essa janela de transferências de janeiro, o time voltará a brigar contra o rebaixamento na segunda metade do campeonato e o ciclo de se livrar de rebaixamento ano após ano voltará. É preciso mudar de postura e contratar jogadores, pois ninguém vai fazer mais do que isso.

Comente com o Facebook: