domingo, 24 de dezembro de 2017

Review da primeira metade de 2017/2018 do Nottingham Forest


Metade da temporada chega ao fim com o primeiro turno da Championship encerrado e o Nottingham Forest mostrou pontos positivos e negativos durante essa primeira metade de campeonato. Fizemos um levantamento de jogos, estatísticas e uma análise do que passou.

O começo da temporada foi extremamente difícil devido a campanha terrível na temporada passada, se livrando de um rebaixamento por saldo de gols. A partir daí, uma nova diretoria renovada, com um novo proprietário e um novo discurso de organização para colocar a casa em ordem. Paciência, coisa que a torcida vem escutando há 17 anos desde a última participação na Premier League, mas dessa vez, parece ser sério.

Diretoria:


Ao que se nota, Evangelos Marinakis, novo proprietário, é um cara que aparece pouco nas câmeras e prefere delegar poderes ao invés de ser centralizador - muito diferente de como era na gestão anterior de Al Hasawi. Ao lado dele, chegaram figuras importantes como Nicholas Randall na presidência e um time de CEO com diretora financeira e tudo mais. Até o momento, a diretoria fez o que pôde. Chegaram ao time 6 novos jogadores que agregaram bastante ao elenco. Ao mesmo tempo, saíram 9 jogadores e mais alguns foram emprestados para ganhar rodagem. O trabalho deles tem sido muito mais fora de campo e de maneira interna, na qual a torcida não vê, mas que na frente faz diferença. Outro ponto interessante é a integração entre a comunidade de Nottingham e o clube, deixando o clube com portas abertas para quem quer ajudar e sugerir melhorias, seja na cidade, no clube e no time.

Técnico:


Mark Warburton foi mantido no cargo e até o momento pelo que se parece, não será trocado como em outros tempos de Forest, na qual nenhum técnico conseguia completar uma temporada no time. A Championship começou e a torcida esgotou os ingressos pra temporada, com nova esperança de ver o time organizado administrativamente. Se fora de campo as coisas parecem andar conforme o prometido, dentro de campo o time teve certos escorregões, mas no geral faz uma temporada digna até agora, visto que as coisas nas últimas 5 temporadas eram bem piores e nenhum treinador conseguiu dar jeito com esse elenco. O saldo de Warburton é positivo pelo que tem em mãos, mas se fizer uma boa janela de contratações, pode melhorar.


Contratações:


Falando sobre o campo, o time acertou quase em cheio nas 6 contratações que fez. Até o momento, quase todos os contratados são titulares e com certo destaque, dentre eles a acertada contratação do centro avante Daryl Murphy que é um dos goleadores do time. Além dele, Kieran Dowell, que veio por empréstimo do Everton, se mostra grata surpresa e dominou o meio campo. Outra grande contratação foi a de Barry McKay, um meia jovem, habilidoso e que veio por uma quantia irrisória para os padrões do futebol. Tudo isso somado a venda de Assombalonga por 15 milhões de euros para o Middlesbrough para fazer caixa, foram pontos positivos.

Além deles, chegaram o lateral Darikwa, o volante Bridcutt e o atacante Jason Cummings, que até começou bem a temporada, mas atualmente perdeu sua vaga para o jovem Tyler Walker, que retornou de empréstimo e aproveitou melhor sua oportunidade.

Se ofensivamente o time não deixa a desejar, porém, infelizmente faltou a contratação de zagueiros e goleiro, que era a maior prioridade no ano, e esse tem sido o ponto negativo da temporada. Smith alterna boas e más partidas no gol, muitas vezes com falhas que são decisivas. Lembrando que o time chegou a anunciar um goleiro, mas devido a lesão na seleção australiana, o contrato foi cancelado pelo tempo de recuperação. Na zaga, o trio Mancienne, Mills e Worrall bem que tentam, mas não são jogadores a altura do Forest, o que faz o time levar muitos gols e ser exposto com facilidade. Já fizemos um levantamento que mostra que o time leva muito gol de bola parada e também nos primeiros 15 minutos de jogo, o que complica os resultados.

O Time:

Fica muito claro que ofensivamente o time está num bom nível, mas defensivamente não, e até agora Warburton não conseguiu acertar a zaga (e sem contratações não vai conseguir mesmo). Uma marca impressionante de 10 vitórias, 1 empate e 12 derrotas em 23 partidas mostra que o time é irregular e dependendo do adversário, pode se tornar presa fácil.  Partidas que o time começa perdendo, dificilmente o resultado final é alterado e vice versa. Taticamente a formação do time muda bastante de acordo com o adversário.

Esquemas de jogo mais utilizados:
4-3-3 6
3-5-2 5
4-5-1 4
4-2-3-1 8
4-4-2 3

Quem mais jogou até agora:
Smith, Worrall, Dowell e Osborn jogaram todas as 23 partidas do primeiro turno - seja como titular ou iniciando na reserva e entrando posteriormente. Porém, Dowell e Osborn jogaram os jogos de Copa também e acumulam 25 partidas.

Quem menos jogou:
Vellios, Henderson e Cash acumulam apenas 1 partida pelo time, porém os 3 jogadores atuaram somente pelos jogos de Copa. No caso da Championship, quem jogou menos foi Cohen com 2 partidas e Ward, com 4.

Lista de goleadores:
Dowell 8
Murphy 7
McKay 5
Cummings 4
Walker 4
Carayol 2
Bouchalakis 2
Osborn 2
Brereton 2
Darikwa 1
Lichaj 1
Worrall 1
Campanha:
12 Vitórias
1 Empate
13 Derrotas
38 Gols Pró
45 Gols Contra

Melhores partidas:

A melhor partida da primeira metade do campeonato certamente foi a vitória por 4x0 contra o QPR. Além de mostrar bom poder ofensivo, o time passou sem levar gols, o que é um fator interessante. Outros bons jogos do time foram as vitórias fora de casa contra o Brentford (4x3) e a vitória em casa contra um embalado Sheffield United por 2x1. 

Piores partidas:

Certamente a goleada para o Chelsea por 5x1 na Copa da Liga Inglesa na qual Warburton poupou o time num jogo que o Chelsea já ia de reservas e podia pelo menos complicar um pouco mais a partida. Dentro da Championship, a derrota em casa para o Leeds (2x0) e a derrota no clássico contra o Derby (2x0) mostraram um time sem poder de reação em situações adversas.


Resultados até aqui:

Championship Nottingham Forest 1x0 Millwall
Copa da Liga Nottingham Forest 2x1 Shrewsbury Town
Championship Brentford 3x4 Nottingham Forest
Championship Barnsley 2x1 Nottingham Forest
Championship Nottingham Forest 2x1 Middlesbrough
Copa da Liga Newcastle Utd 2x3 Nottingham Forest
Championship Nottingham Forest 0x2 Leeds United
Championship Sheffield Wed 3x1 Nottingham Forest
Championship Sunderland 0x1 Nottingham Forest
Championship Nottingham Forest 1x2 Wolverhampton
Copa da Liga Chelsea 5x1 Nottingham Forest
Championship Aston Villa 2x1 Nottingham Forest
Championship Nottingham Forest 1x3 Fulham
Championship Nottingham Forest 2x1 Sheffield Utd
Championship Derby County 2x0 Nottingham Forest
Championship Nottingham Forest 2x0 Burton Albion
Championship Hull City 2x3 Nottingham Forest
Championship Reading 3x1 Nottingham Forest
Championship Nottingham Forest 4x0 QPR
Championship Birmingham 1x0 Nottingham Forest
Championship Nottingham Forest 1x0 Norwich
Championship Nottingham Forest 0x2 Cardiff
Championship Ipswich 4x2 Nottingham Forest
Championship Nottingham Forest 3x2 Bolton
Championship Bristol City 2x1 Nottingham Forest
Championship Preston 1x1 Nottingham Forest

O que vem por aí:

Se o time ir bem no mercado em Janeiro, trazendo zagueiros e de preferência um goleiro mais experiente, o time pode brigar pelos playoffs com uma vaga no G6. Se não conseguir reforçar esse setor, provavelmente fará um campeonato de meio de tabela até o fim da temporada.

É difícil cravar algo, mas ao que tudo indica, será uma temporada de reconstrução fora de campo apenas. Dentro de campo, o time não joga até o momento um futebol de equipe que sobe de divisão, mas tudo é possível e com mais 23 jogos pela frente, há tempo para melhorar.

Com 31 pontos em 23 rodadas, o time precisa melhorar seu aproveitamento se quiser ir aos playoffs. A pontuação mínima que um time precisou pra atingir a sexta colocação foi de 69 pontos, mas é preciso certamente de pelo menos 73, portanto são preciso pelo menos mais 42 pontos no segundo turno.

Na Copa, o time enfrentará o Arsenal em parada dura no City Ground. Infelizmente, além do adversário ser difícil, Warburton certamente irá priorizar a Championship e rodar o elenco, mas seria uma grande oportunidade de voltar a aparecer no alto escalão Inglês ao eliminar uma potência como o Arsenal. Porém, mesmo que passe, não há uma expectativa de que chegue longe.




Comente com o Facebook: