sábado, 30 de dezembro de 2017

Robin Hood doa mais três pontos na Championship e frusta torcida novamente


O Mascote do Nottingham Forest até 2015 era o Robin Hood, devido ao folclore do icônico personagem que vivia na floresta da cidade, tirando dos ricos e doando aos pobres. Novamente, nesta rodada, não foi diferente. Jogando diante de um público espetacular de 26 mil pessoas, o time deu vexame dentro de casa e perdeu para o Sunderland, time que estava na zona de rebaixamento. O resultado tirou o time do norte da Inglaterra da zona de perigo.

Warburton voltou a se equivocar na escalação, colocando mais uma vez muita gente improvisada, a começar por Osborn na lateral esquerda e por Brereton como ponta direita. Apesar que isso não foi o fator primordial da derrota e sim o baixo aproveitamento ofensivo. Assim como foi no primeiro jogo entre as equipes, no Stadium of Light, o time vencedor precisou apenas de 1 finalização para vencer o jogo. Naquele dia, Murphy marcou nos acréscimos na única chegada ao gol do Sunderland. Dessa vez foi igual, porém de lado inverso.

Antes de levar o gol, o Forest já havia perdido duas boas oportunidades com Murphy. Quando o jogo se caminhava para o fim do primeiro tempo, aos 40 minutos, no único cruzamento na área, McGeady cabeceou firme no contrapé de Smith que nada pôde fazer. No segundo tempo, Warburton voltou com Traore na lateral e colocou Osborn como meia. Também tentou a entrada de Carayol e Cummings no lugar dos apagados McKay e Murphy que saiu machucado, mas nada adiantou. O time até criava, mas as finalizações eram péssimas.

Warburton após o jogo tentou justificar a derrota: "Foi um jogo similar ao último em casa. Começamos bem e perdemos muitas chances, mas é irrelevante. Levamos a única cabeçada no nosso gol na partida e perdemos. Com o gol, o público ficou impaciente e queria uma reação rápida. Fizemos mudanças táticas e colocamos mais gente na frente, mas o segundo tempo foi inaceitável. Estávamos nervosos, hesitantes e faltou qualidade pra empatar. Certamente precisamos de novos jogadores em algumas posições, pois o time não está conseguindo fazer o que estamos treinando. O City Ground é um estádio famoso e temos que matar as partidas quando a oportunidade aparece".

O fim de jogo registrou uma incrível estatística de 22 finalizações do Forest contra 1 do Sunderland e mesmo assim, o Sunderland venceu a partida. Antes, se o time ainda vivia uma montanha russa de derrotas e vitórias, agora o que se vê é apenas uma queda brusca de aproveitamento. Se antes o time ainda olhava com certa esperança os playoffs, ao que tudo indica, a segunda parte do campeonato será igual a da temporada passada e é preciso muita calma para que o time não entre em parafuso, pois ao que parece, isso já está acontecendo, porém dessa vez o time ainda está melhor posicionado na tabela.

Com uma distância de 9 pontos da zona de rebaixamento, o Forest começa a olhar com mais preocupação para a parte de baixo e cada vez mais fica claro que mais uma temporada está perdida e que um campeonato de permanência no meio da tabela será para comemorar enquanto a nova diretoria não age e contrata novos jogadores, sobretudo para a parte defensiva. A princípio, apesar da insatisfação geral da torcida, ao que tudo indica, o técnico será mantido.

Na segunda feira, no primeiro dia do ano, o Forest volta a campo pela Championship no encerramento do Boxing Day para tentar não perder a terceira seguida em um confronto difícilimo contra o Leeds, fora de casa.



Comente com o Facebook: