sábado, 13 de janeiro de 2018

Na estreia de Karanka, zaga complica mais uma vez e Forest é derrotado em casa


Karanka saiu do primeiro e segundo tempo com cara de pouquíssimos amigos hoje no City Ground. Talvez por ter percebido que realmente terá um trabalho mais duro do que teve no Middlesbrough e consequentemente, o mais desafiador de sua curta carreira como técnico. O Forest aprontou mais uma vez e perdeu dentro de casa para o Aston Villa, confirmando sua posição de freguês dos times que habitam o G6 da competição - até agora só um empate no total.

O time foi quase o mesmo que venceu o Arsenal, com apenas uma mudança, porém muito brusca: A entrada do fraco tecnicamente Matt Mills na zaga no lugar de Joe Worrall, expulso na última rodada. Porém o desfecho e a atitude foram muito diferentes daquela partida. Logo aos 18 minutos em bola cruzada na área, os dois piores jogadores do elenco do Forest (Mills e Smith) bateram cabeça sobre quem sairia na bola e Hoogan se antecipou aos dois para marcar o 1x0.

O Forest tinha dificuldades na saída de bola e era muito pressionado pelo Villa, não conseguindo criar jogadas e irritando a torcida. Cash e Dowell até conseguiram criar uma chance de gol, porém defendida pelo goleiro. Já aos 24, John Terry bateu uma falta com perigo por cima da trave de Smith. Após essas chances, o primeiro tempo acabou.

Na segunda etapa, mais chances do Villa. Snodgrass bateu outra falta que foi com muito perigo e defendida por Smith. Outro que chegou a perder chance clara de gol foi Grealish, aos 5 do segundo tempo. Vendo que o time não reagia, Karanka mexeu no time e colocou McKay no lugar de Clough que fez uma partida muito abaixo da semana passada. Também tentou a entrada de Ward no lugar de Cash, porém o resultado não se alterou e o time perdeu mais uma.

Após a partida. Karanka percebeu que o time precisa melhorar muito para querer voos mais altos: "Temos muito potencial na frente, mas um plantel jovem que precisa melhorar. A qualidade que temos dos lados é muito boa, mas temos que ser mais agressivos, intensos e organizados. Não tivemos tempo para preparar para o jogo como queria, mas agora teremos uma semana inteira para treinar contra o Wolverhampton. É um grupo jovem, então temos que encorajá-los e apoiá-los para melhorar".

"Quando você joga contra um time experiente, é difícil e é preciso entender que temos jovens que possuem um longo caminho pela frente. A principal coisa é ter equilíbrio entre jovens e veteranos. Essa semana será importante, mas não vamos colocar mais pressão nos jogadores. É meu trabalho protegê-los e ter certeza que estaremos em uma maior forma no próximo jogo".

O Forest estacionou nos 32 pontos, mas perdeu uma posição e agora é o 15º, já completando o seu sexto jogo sem vitória e o seu quarto sem marcar gols. A distância para a zona de rebaixamento, atual preocupação, é de 8 pontos e ainda considerada segura. Porém na próxima rodada o time possui um confronto duríssimo fora de casa contra o líder isolado da competição e que investiu pesado esse ano, o Wolverhampton.

Sobre contratações, a especulação mais recente colocou o jovem atacante Musonda, do Chelsea como provável alvo. Segundo a mídia inglesa, haveria uma proposta de empréstimo do Forest para ele na mesa. Porém o mais urgencial agora é contratar zagueiros e goleiro se o time realmente quer um ano mais tranquilo ou se vai novamente brigar contra o rebaixamento mais uma temporada.

Comente com o Facebook: