quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Quais contratações o Forest deveria fazer em Janeiro? Fizemos uma análise do elenco


Aitor Karanka já declarou em recentes entrevistas de que deverá fazer novos movimentos na janela de transferências em janeiro e que jogadores deverão chegar e sair - claro que numa proporção muito menor do que no início da temporada.

Evangelos Marinakis, proprietário do Forest, investiu mais de 20 milhões de libras no início da temporada e deixou claro a todos no clube de que não espera nada menos do que o acesso para a Premier League o mais rápido possível. Uma sequência que afaste o time da briga pelo menos dos playoffs deverá custar o emprego de muitos, inclusive o do técnico (esperamos que não). Marinakis, diferente do proprietário anterior, definiu objetivos ambiciosos e em curto prazo.

Com as recentes derrotas e tropeços, o alerta foi religado e algumas posições se tornaram mais necessárias de novas contratações. Outras precisam de uma oxigenada, mandando jogadores não aproveitados embora. Fizemos então uma análise do que seria necessário para o clube:

Goleiros: 
Pantilimon vinha fazendo atuações questionáveis e agora nas últimas partidas voltou a jogar bem. Não é unanimidade, mas de longe é mais seguro do que goleiros do ano anterior.

Luke Steele chegou a custo zero e recebeu poucas oportunidades. Deve ganhar mais rodagem na partida da Copa da Inglaterra contra o Chelsea, não há muito o que fazer.

Nesta posição as contratações seriam desnecessárias agora.

Laterais:
Darikwa decaiu muito e já merece perder a titularidade, mas tem alternativas de sobra. Janko se mostra polivalente e ofensivo. Ainda tem a volta de Byram daqui uns meses. Do lado direito tudo ok. O problema é na esquerda. Só contamos com Robinson que as vezes atua como zagueiro improvisado. Osborn chega a quebrar um galho lá, mas não é sua função.

Precisamos de um lateral esquerdo.

Zagueiros:
Em nossa opinião o setor mais carente. Hefele vem dando muita pixotada, mas é o único que tem jogado todas. Figueiredo é estável. Fox e Dawson costumam frequentar muito o DM. Nas últimas rodadas, ficamos sem zagueiros disponíveis. Além disso, os gols que estamos levando demonstram que ainda faltam peças nesse lugar.

Pelo menos um zagueiro de nível titular seria necessário.

Volantes:
É a posição mais bem servida. Existem jogadores que não estrearam ainda (casos de Yates e Tachsidis). O time vem alternando com Guedioura, Colback e Yacob entre os que mais jogam. Por outro lado, Bridcutt ficou encostado e dificilmente aparece entre os relacionados. Talvez seja a hora de liberar pelo menos um jogador e evitar posições muito cheias.

Meias:
Um lugar que precisa de reforços, definitivamente. Na meia cental, apenas João Carvalho tem as funções de armador, não temos outro. Ele é bom jogador, mas alterna muito bons e maus momentos. Por ser jovem, precisaria de uma sombra.

Tivemos recentemente jogadores que passaram por aqui e foram bem nessa posição (Dowell e Tomlin), mas estavam emprestados e voltaram aos seus clubes. O problema é que eles não estão jogando novamente. Uma nova tentativa de empréstimo dos dois seria interessante em nossa opinião.

Nas meias laterais, o time é até bem servido. Opções como Cash e Osborn sempre caem bem, mas Gil Dias e Diogo Gonçalves não emplacaram um bom futebol até o momento e estão começando a irritar a torcida.

Atacantes:
O setor conta com dois dos maiores goleadores do time, casos de Grabban e Lolley. Grabban, que por sinal, se mostra o melhor investimento do clube na temporada. Foram £7M gastos e já foram 15 gols anotados até o momento. Lolley faz boa dupla com Grabban, mas joga mais recuado e aberto dos lados do campo. Ele tem sido assediado por equipes da Premier League, mas apenas uma proposta muito boa deve tirar ele daqui. Faltaria aí mais um jogador para pelo menos ser boa presença no banco de reservas.

Murphy é um bom finalizador, mas é experiente e a falta de jogos lhe deixa mais distante de Grabban para ser o reserva imediato. Como tem contrato de mais 2 anos, deve ficar, mas suas características são totalmente diferentes. Ansarifard chegou recentemente, mas recebeu poucos minutos e ainda não temos uma opinião fechada dele.

Para as pontas, a sugestão seria tentar o retorno de Oliver Burke, por quê não? O jogador que saiu do Forest precocemente em 2016 para jogar na Alemanha não deu certo no país e voltou a Inglaterra para jogar no West Brom. O problema é que também dificilmente recebe chances.

Conclusão:
Mapeamos então a necessidade de trazer pelo menos três a quatro jogadores. Um zagueiro, um lateral esquerdo, um meia armador e um ponta.

Para as saídas, o número de três jogadores também se mostra um número correto. O elenco ficaria com o mesmo número e com mais qualidade.

A verificar como será o mercado de transferências.

Comente com o Facebook: