quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Ryan Yates é a prova de que o Forest tem soluções em casa


Osborn, Matty Cash, o emprestado Worrall que foi para o Rangers e agora Ryan Yates. O Nottingham Forest mostra que o investimento feito na base tem valido a pena e que as pratas da casa estão dando certo. Para quem não conhece, Yates é um meia central, assim como Cash e Osborn, mas sua carreira foi feita inicialmente por empréstimos no Notts County (League 2) e no Scunthorpe (League 1).

No vizinho Notts County, Yates foi um dos principais jogadores do time e ficou uma temporada por lá. Quando voltou, já foi emprestado de novo para ganhar rodagem e no Scunthorpe, jogando uma divisão acima, seus números se mantiveram bons. Seu contrato havia acabado agora em janeiro e ele retornou ainda quando Karanka era o técnico.

Acontece que o futebol é dinâmico e Yates, que inicialmente seria o último volante disponível da fila de jogadores como Guedioura, Colback, Yacob, Watson e até mesmo Osborn e Cash, acabou indo para o começo da fila assim que Martin O'Neil assumiu o Forest. Sua escalação, contra o Brentford foi uma grande surpresa e ninguém esperava. O'Neil então justificou que o jogador estava treinando muito bem e merecia oportunidade.

O novo técnico do Forest também estava encostado no elenco nos anos 70 quando Brian Clough assumiu o clube e o resgatou. Curiosamente, O'Neil também era uma espécie de meio campista lateral. Talvez por isso foi muito fácil para ele passar um jogador "sem peso" na frente de outras contratações mais badaladas.

Com duas partidas e dois gols marcados, Yates foi nomeado Man of the Match contra o West Bromwich e certamente já garantiu sua presença no elenco após as boas apresentações. Mesmo que não mantenha o nível desses primeiros jogos, o time ganhou outro fôlego com ele em campo.

Voltando um pouco no tempo, não é mero acaso que o Forest tenha uma boa categoria de base. Após cair da Premier League em 1999, o Forest investiu pesado nas categorias de base devido ao orçamento curto. O proprietário Nigel Doughty foi responsável pela construção de uma academia de futebol de última geração para a base e uma década depois, esses jogadores começaram a aparecer.

O que isso quer dizer? O Forest possui jogadores na base que podem sim serem titulares importantes no elenco. Será que realmente é preciso buscar tantas contratações que a maioria delas nem costumam fazer uma sequência de jogos? Vamos buscar aqui alguns casos recentes: Ansarifard, Tachsidis (que veio e nem estreou), Vellios são casos de jogadores que são contratados sem o menor critério técnico e provavelmente "engolidos" a força pelos proprietários aos técnicos que estavam por aqui.

Vale muito mais a pena dar rodagem a esses jogadores do Forest do que fazer essas contratações obscuras.

Além desses jogadores citados, o Forest também possui jogadores promissores no sub 23. Os mais famosos são o zagueiro Iacovitti, o lateral Jordan Gabriel, o volante Edser e o atacante Virgil Gomes, que recentemente foi emprestado ao Notts County, seguindo o mesmo caminho de Yates em seu início de carreira.

Tomara que a escalação de Yates não tenha sido um mero acaso. Tomara que Cash e Osborn continuem no time e tomara que o zagueiro Worrall possa voltar ao time na próxima temporada e consertar a zaga. Tomara que O'Neil veja a categoria de base como uma solução.

Comente com o Facebook: